In Memoriam Credidio Rosa (4/9/1938 - 6/8/2014)

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Champagnes e afins - Credvinho

Local: Grand Cru Moema
Tema: Champagnes e afins
Apresentação: Silvia Amorim

Mantendo nossa tradição realizamos nossa última reunião do ano de 2015 na Grand Cru Moema abordando o tema dos espumantes que marcam esta época do ano.
Tivemos a grande alegria de recebermos nossa querida Leila e com ela recordarmos algumas das muitas peculiaridades de nosso eterno mestre Credidio.


Nosso vinho de boca foi um Bottega Millesimato Brut 2014, 100% Glera, 11% GA, R$63,00 para um vinho de boca, assim como para uma piscina este espumante agradou muito.

Silvia iniciou sua explanação sobre todos os tipos de espumantes, muito proveitosa, rica e interessante. Contou com a participação de todos, inclusive sobre a explicação da denominação Prosecco , cuja cepa se chama agora Glera, e a região Prosecco se situa entre as vilas de Valdobbiadene e Conegliano.



Nossa degustação se iniciou com uma Cava Castellroig da região de Penedes, safrada 2011, 12%GA, produzida pelo método champenoise. Uma boa persistência, retrogosto agradável, perlage fina e consistente. R$188,00
Foi a terceira escolhida.

Em segundo lugar degustamos um Prosecco Giustino, de Ruggeri, safra 2014, 11,5% GA, R$188,00. Perlage frágil desaparecendo em poucos minutos, retrogosto também frágil.
Foi o quarto a ser escolhido.

Em terceiro lugar degustamos a Champagne Gosset Brut Excellence, 12% GA R$365,00.
Observamos madeira, vinho um pouco evoluído mas ainda com todas as caraterísticas de um verdadeiro Champagne.
Foi o escolhido da noite!!!!

Nosso quarto vinho foi um espumante Villa Crespia 2005, 13% GA com bom retrogosto e perlage fina e consistente
Foi o segundo a ser escolhido.

Nesta noite percebemos que o espumante italiano é preferido em relação aos demais e é preferido em relação ao Prosecco.

Nosso mavilhoso jantar foi com a difícil escolha entre uma posta de atum grelhado, um robalo grelhado, papardelle com ragu de ossobucco e entrecote ao molho de shitake.

Como acompanhamento tivemos um branco Chardonnay 2012 e um tinto Pinot Noir 2023 ambos Corralillo, Matetic, do vale de San Antonio, Chile.

Café

Nosso encontro foi alegre, descontraído e instrutivo. Teve de tudo um pouco.
Leila , muito obrigada por sua presença. Venha mais vezes trazer um pouco de nosso querido chef Credidio.
Um Feliz Natal a todos e um Novo Ano repleto de saúde, alegria e vinho.
Um beijo carinhoso em cada um de vocês,
Vera

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Espumantes Valduga

CLUVINHO - DEZEMBRO 2015

LOCAL - RESTAURANTE GENOVA

TEMA - ESPUMANTES VALDUGA


Como todos sabem, as nossas degustações são feitas às cegas, a única informação passada é que eram espumantes e não havia champagne. O desafio colocado é que cada amostra tinha um tempo de autólise diferente e que quanto mais tempo de autólise menor quantidade de açucar residual, pois as leveduras se alimentam justamente do açucar, e tentassem descobrir a que tinha menor e maior tempo de autólise. Houve uma menção honrosa ao Figão, que matou que os espumantes eram de um único produtor, porém errou na nacionalidade e o Evandro que matou que o espumante rosé da abertura era o Art Tradicional Brut Rosé da Valduga.

Abrimos com o já citado Art Tradicional Brut Rosé 2014, que passa por 12 meses de autólise em cave, residual 13,6 gr/l, 60% Chardonnay e 40% Pinot Noir, Vale dos Vinhedos, rosa salmão, florais, refrescante, GA - 12%, preço R$ 45,50.




RSV BRUT 25 MESES 2013 - Fica 25 meses em autólise na cave, residual 12,4 gr/l, 70% Chardonnay e 30% Pinot Noir, Vale dos Vinhedos, amarelo lima, frutas, equilibrado, GA - 12%, preço R$ 67,20, foi o quarto na preferência.


GRAN EXTRA BRUT 60 MESES 2010 - Passa 60 meses de autólise em cave, residual 5 gr/l, 80% Chardonnay e 20% Pinot Noir, sendo que a Chardonnay passa 12 meses em carvalho (8% do volume total), Vale dos Vinhedos, amarelo palha, amêndoas, bom volume, GA - 12,5%, R$ 120,00, foi o primeiro na preferência.


MARIA VALDUGA BRUT VINTAGE 2011 - Passa 48 meses de autólise em cave, residual 8 gr/l, 80% Chardonnay e 20% Pinot Noir, sendo que a Chardonnay passa 12 meses em carvalho (10% do volume total), Vale dos Vinhedos, amarelo palha, fruta em calda, fermento, ótimo frescor, GA - 12,5%, R$ 190,80, foi o segundo na preferência.


ESPUMANTE BRUT 130 - Fica 36 meses em autólise na cave, residual 12,4 gr/l, Chardonnay e Pinot Noir, a Chardonnay passa 12 meses em carvalho (8% do volume total), Vale dos Vinhedos, amarelo palha, tostados, frutas secas, volume amplo, GA - 13%, preço R$ 91,00, foi o terceiro na preferência.


O jantar foi regado por Champagne MONTAUDON, importado pela WINE, preço R$ 140,00, iniciamos com o ótimo antipasto do Genova e como prato principal um fettucine ao gorgonzola e bife a milanesa.


BOAS FESTAS!

Cred não nos abandone.

Taba

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Cepas não típicas de alguns lugares

 CREDVINHO NOVEMBRO
 LOCAL: RESTAURANTE LA FRONTERA
 TEMA: CEPAS NÃO TÍPICAS DE ALGUNS LUGARES
 APRESENTAÇÂO: ANA LÚCIA PALMA

Este tema foi inspirado no caderno Paladar do jornal Estadão que analisou como se comportam algumas cepas longe de seus habitats naturais.
Ana nos falou um pouco sobre as cepas a serem degustadas e depois nos fez uma análise individual de cada vinho acompanhada do simpático sommelier do local, Diego.


Nosso vinho de boca foi Abad Dom Bueno da Bodega del Abad da região do Bierzo, Espanha, 100% da cepa Godello, GA 12,5%, importado pela Grand Cru, R75,00. Esta cepa produz vinhos leves, não passados em madeira, discreto frutado lembrando maçã verde. Fácil de beber.



1- vinho FP Baga da região de Bairrada, Portugal, 2012, GA 12%, IGP Beira Atlântico, composto de 98% Baga.Vinho leve, com boa acidez, sem muito aroma mas com final de salinidade e ervas. Importado ela Casa Flora, R$79,00. Foi o quarto a ser escolhido.

2- vinho Peique da Bodega Peique viñedos viejos, próxima da Galícia, Espanha. GA 14%, 100% uvas Mencia, passado 12 meses em barricas de carvalho francês, americano e russo. Boa estrutura, puxando a mentolado e pimenta. Muito equilibrado.Diego considera útil um envelhecimento de mais uns 3 anos para atingir seu ponto ideal de amadurecimento. Importado pela Decanter, R$155,00. Foi o vencedor da noite.

3-vinho Morandé Edition Limitada, 2011, 100% Carignan, vale de Loncomilla, Chile.Esta é uma cepa plantada originalmente na França, no Languedoc Rossillon e que se adaptou muito bem no Chile. Cepa amante do sol com amadurecimento tardio. GA 14%, R$200,00.
Boa acidez com retrogosto lembrando limão e boa estrutura de taninos. Foi o segundo escolhido.

4-vinho Pasión 4 da Bodega Joffré, Mendonça, Argentina, 2012. Muita mineralidade, boa acidez, lembrando a baunilha mas com final discretamente salgado. Esta cepa, genuinamente Piemontesa, é hoje a segunda variedade mais plantada na Argentina perdendo somente para a Malbec. Importada pela EVino, GA 13%, R$71,00. Foi o terceiro escolhido.


Nosso jantar foi Tagliatelle com tomates italianos, linguiça parrilleiro picante, mozarela de búfalaresca , manjericão e salsinha ou Bacalhau confeitado no azeite com batata doce e inglesa grelhada, cebola e azeitonas. Nosso vinho do jantar foi um uruguaio Don Prospero, 2013, Tannat Malbec da Bodega Pizzorno.Vinho de amplo uso gastronômico que acompanha bem massas e peixes.

Ana esmerou-se em nos apresentar estas cepas menos conhecidas que nos surpreenderam, sobretudo a cepa Mencia,desconhecida por muitos do grupo.

Até dezembro com Champagne!
Um abraço,
Vera


quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Uvas autóctones do Novo Mundo

CLUVINHO - NOVEMBRO 2015
LOCAL - ECULLY RESTAURANTE
TEMA - UVAS AUTÓCTONES DO NOVO MUNDO

O tema deste mês na verdade foi uma provocação, pois o que foi considerado aqui foram as uvas emblemáticas de países do Novo Mundo, por exemplo: Malbec - Argentina, Carmenere - Chile, Tannat - Uruguay, Zinfadel - EUA, Shiraz - Austrália, Pinotage - Africa do Sul. Desta forma testamos o "conhecimento" dos confrades, porque foram colocadas 4 amostras das seis citadas e provocamos para os confrades dizerem quais eram as 4 amostras testadas. Todos os vinhos importados pela Grand Cru.

Abrimos com um branco argentino "autóctone" maravilhoso, óbvio que foi um Torrontes, o vinho um San Pedro de Yacochuya Torrontes 2013, da região de Salta/Cafayate à 1.600m de altura onde se produz o melhor Torrontes. Esta casta é originária da Espanha, aromas cítricos, levemente floral e maçã verde, na boca vivo e refrescante, é afinado em tanques de aço inox, GA - 15,3%, guarda 3 anos, recomendo fortemente, preço R$ 99,00.



REMHOOGTE BUSHVINE PINOTAGE 2012 - Sul-africano da região Stellenbosh, uva Pinotage (cruzamento Pinot Noir e Cinsault), aroma de cerejas, amoras e morangos, na boca, equilibrado, elegante e macio, ótimo vinho, 15 meses em carvalho francês, GA - 15%, guarda 10 anos, vinícola fundada em 1994, R$ 137,00, foi escolhido o segundo da noite.

ZORZAL GRAN TERROIR UNICO MALBEC 2013 - Argentino da região de Tupungato/Mendoza à 1350 m de altura, uva Malbec, de origem francesa de Cahors, aroma frutas silvestre e compota, na boca frescor e acidez acentuada, este vinho estava muito novo e deveria ser aerado ou decantado, mas com certeza tem estrutura para ser um vinho longevo, afinado em Ovos de concreto, GA - 13,9%, guarda 7 anos, RP - 93 ptos. e GD - 90 ptos., R$ 138,00 foi quarto na preferência.

LEYDA SINGLE VINEYARD CARMENERE TALHUEN 2011 - Chileno do Vale Leyda, uva Carmenere de maturação tardia, originária da França, da região Bordeaux/Medoc, aroma de ameixa, chocolate e maresia, na boca elegante, taninos macios e ótima acidez, 12 meses em carvalho francês, GA - 14%, guarda 7 anos, vinicola fundada em 1998, R$ 112,00, foi escolhido o primeiro da noite.

PIZZORNO RESERVA TANNAT 2011- Uruguaio de Canelones, uva Tannat de origem francesa da região de Mandiran, foi levada para o Uruguai em 1870, por um imigrante basco, aroma de caramelo, cardamono, na boca taninos equilibrados, frutas negras e com muita personalidade, 12 meses em carvalho, GA - 14%, guarda 8 anos, GD - 90, R$ 139,00 foi o terceiro na preferência.

O jantar foi servido um espetacular Leitão cozido em baixa temperatura, com uma mousseline de madioquinha, cebola caramelizada e pesto de manjericão. Para harmonizar um Morandé Reserva Cabernet Sauvignon 2012, apesar de termos escolhido o Carmenere, o Cabernet Sauvignon harmonizou muito bem, vinho chileno da região do Maipo, 12 meses em carvalho francês, GA - 14%, guarda 6 anos, vinicola fundada em 1996, R$ 73,00, ótimo vinho.

Cred não nos abandone


Taba

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Douro x Alentejo (Credvinho)

Credvinho outubro
Local: Restaurante NOU
Tema: Douro X Alentejo

Nossa reunião de outubro foi sobre os vinhos portugueses do Alentejo e do Douro, vinhos que foram cuidadosamente selecionados por Jayme e Flavio Spinola. Por mais uma vez tivemos lista de espera o que nos incentiva bastante sentindo nosso grupo cada vez mais coeso e interessado.




Jayme falou sobre as duas regiões enfocando as diferenças de terroir entre elas gerando vinhos com características diversas.

Iniciamos nossa noite com o vinho de boca Villa Romanu, IGP Alentejano 2014, vinho ideal para o dia a dia. Produzido com as castas Antão Vaz, Arinto e Verdelho, cor cítrica, aromas citrinos com bastante frescor e agradável persistência.GA 13%, R$ 45,00 (Almeria).

Quinta da Terrugem 2011, DOC Alentejo, castas: Aragonez, Trincadeira e Alicante Bouschet, 12 meses em barricas de carvalho Francês.Vindima manual. Cor púrpura densa com aromas complexos de frutos maduros, compotas e chocolate.Taninos equilibrados e boa persistência. GA 14,5%, R$ 140,00. Foi o terceiro escolhido.

Meandro do Vale Meão, 2012, Douro. Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca e outras.Vinho com crítica especializada bastante favorável mas que não expressou sua s qualidades nesta noite permanecendo fechado com aroma e retrogosto pobres. GA 14%, R$ 142,19. Foi o último a ser escolhido.

Tinto da Ânfora Grande Escolha 2008, vinho regional Alentejano. Castas:Aragonez, Touriga Nacional e Syrah, 18 meses em barricas de carvalho Francês. Cor profunda, muito rico e concentrado nos aromas e sabores. Complexo e longo. GA 14%, R$ 203,00.
Foi o escolhido da noite pela maioria dos presentes.

Poeira 2009, produzido pelos Lavradores de Feitoria, Douro.Castas: vinhas velhas de
Touriga Nacional, Souzão e Tinta Roriz. É um dos vinhos de garagem de maior sucesso do
Douro com estilo diferente de alguns tintos do Douro, com riqueza aromática e acidez.
GA 14%, R 258,54. Foi o segundo escolhido. 




Nosso menu foi de um mix de folhas ao molho de limão e tomates, confit e risoto de cogumelos ao azeite de frutas ou St Peter ao molho de alcaparras, amêndoas e passas com purê de batatas. O vinho do jantar foi Ciranda 2014, Herdade dos Coelheiros, Alentejo. Castas: Aragonês, Trincadeira e Syrah. Cheio de fruta e sabor com ótimo frescor e equilíbrio. Felizmente Flávio tinha uma terceira garrafa na retaguarda pois todos apreciaram muito. R$ 45,00 

Mais uma reunião agradável onde conversamos, comemos e bebemos muito bem, além de aprendermos muito sobre estas duas regiões de Portugal.

Até novembro. 

Vera








sexta-feira, 23 de outubro de 2015

GSM

CLUVINHO - OUTUBRO 2015

LOCAL - TONTON RESTAURANTE

TEMA - GSM


Este é um tema inédito nas nossas degustações, esta foi a primeira vez que abordamos este tema. GSM é sigla de um corte de Grenache/Syrah/Mouvedre ou Garnacha/Shiraz/Monastrel. É um corte originário da região do Rhône, que se estendeu para algumas regiões do mediterrâneo e se tornou muito usado na Austrália. Hoje encontramos vinhos nos EUA, Chile e alguns outros países. São vinhos muito equilibrados e persistentes.
 
Apesar de ter produtor na França que produz GSM branco, rosé e tinto, fizemos a abertura com um branco, cujo produtor Jean-Luc Colombo também produz GSM tinto. O branco LES ABEILLES 2012 AOC é um corte de Clairette, Grenache Branca, Roussane e Viognier da região Rhône Sul, 85% fica 6 meses em tanques de inox e 15% em carvalho francês de segundo uso, guarda de 3 anos, GA - 13,5%, importado pela Decanter, R$ 77,30. É um vinho com um corte diferente fresco e agradável, bom custo/benefício.



As quatro amostras degustadas estiveram muito semelhantes em termos de qualidade, com pequeníssima diferença, quase empatadas

FOZ CREEK GSM 2008 - Australiano da região de McLaren Valley, 38% Grenache, 50% Syrah e 12% Mouvedre, a Syrah fica 12 meses em carvalho francês e americano de várias idades, as outras castas Grenache e Mouvedre estagiam em toneis novos e de segundo uso, guarda de 6 anos, importado pela Decanter, GA - 14,5%, aromas de frutas vermelhas, agradáveis, boa persistência, taninos equilibrados, R$ 150,90, foi o escolhido o primeiro.

BODEGAS EL ANGOSTO LA TRIBU 2010 - Espanhol da região de Valencia Sul, RP - 90, 34% Garnacha, 33% Syrah e 33% Monastrel, 4 meses em carvalho, importado pela Decanter, guarda 5 anos, GA - 14,5%, groselha, morango, fresco, taninos macios, R$ 85,60 foi escolhido em quarto.

DOMAINE PAUL MAS CLOS MURES 2013 - Francês do Languedoc, orgânico, RP - 89, 10% Grenache, 85% Syrah e 5% Mouvedre, 10 meses em carvalho francês e americano, sendo 30% em novos, 35% de segundo uso e 35% de terceiro uso, guarda 10 anos, importado pela Decanter, GA - 14%, amoras, chocolate, persistente, taninos leves, R$ 140,20, foi escolhido em terceiro.

BODEGAS VOLCANES DEL CHILE - TECTONIA 2012 - Chileno, 38% de Petit Syrah do Vale Maipo, 17% de Mouvedre do Vale Maule e 45% de Garnacha do Vale Rapel, 12 meses em madeira, importado pela Zahil, GA - 14%, Descorchados 90 pts., boa persistencia e taninos maios, R$ 137,00 foi escolhido em segundo.

No jantar foi servido um ótimo Risotto de Ossobuco e para acompanhar um GSM do Côtes du Rhône, o rouge Les Abeilles 2012, do produtor Jean-Luc Colombo, o mesmo do branco da abertura, importado pela Decanter, 9 meses de em tonéis, 80% em inox e 20% em carvalho novo, guarda 5 anos, GA - 13,5%, R$ 77,30, um vinho mais simples, mas agradável. O serviço e a comida nota 10

Cred não nos abandone.

Taba

domingo, 20 de setembro de 2015

Espanha (Credvinho)

Local: Sabor Mediterrâneo
Tema: Espanha
Apresentação: Sergio Lecue


Num local descontraído, com cadeiras, sofás, mesas altas e buffet, fomos chegando e nos aproximando de um expert em fatiar jamones, e servidos de uma cava. Foi assim que começamos nossa noite.
Tudo foi preparado por Sérgio Lecue que foi para sua querida Espanha e trouxe a maioria dos vinhos que seriam degustados nesta noite.


Os dois brancos de entrada foram :

Viña Costeira da uva Ribero, vinho do dia a dia da região, sem persistência mas com frescor agradável.11,5% GA, 2014, 4 Euros.

Godeval, de Valdeorras, uva Godello, GA 13%, 13 Euros. Esta uva está em moda traduzindo vinhos mais intensos com boa acidez e permanência.
Godello foi a branca mais escolhida, aliás, sabemos ser esta a cepa da vez na Europa.



Iniciamos nossa degustação com 4 tintos:

1- Habla no 11, da estremadura, um blend de Petit Verdot, Cabernet Sauvignon, e Tempranillo, safra 2010, 14,5% GA , 21 Euros.
Vinho de produção limitada, boa persistência e equilíbrio.

2- El Rincon do produtor Marques de Gregnon de Madri. Blend de Syrah e Grenache, 15% GA, 15 Euros
Vinho agradabilíssimo, redondo, pronto.

3-La Perra Gorda, Marques de Bembigre Castella e Leon, uva Mencia, 13,5%, 2013, 5 Euros.
Vinho orgânico.

4- San Roman, Maurodos, Toro, uva Tinta de Toro, 2009, 14,5% álcool, 25 Euros
Vinho excelente, equilibrado, agradável de beber
Foi o escolhido da noite, seguido do Habla, El Rincon e La Perra Gorda.



Nossa degustação for regada a jamón ibérico Pata Nera fatiado simetricamente por um especialista no assunto que nos apresentou esta preciosidade em lâminas transparentes durante toda a noite .
Degustamos, simultaneamente, queijos de ovelha, de cabra e misto de cabra, ovelha e vaca que se harmonizaram perfeitamente com os vinhos apresentados .

Para finalizar, nossa noite foi coroada com um sorbet de morango e uma torta de chocolate regados a um Jerez Oloroso 75% Palomino fino e 25% Pedro Ximenez com colheita manual, GA 18%, amadurecimento 8 anos em tonéis de carvalho no sistema Criaderas Y Soleras.

O proprietário da Casa nos deu uma aula sobre Jamones e sua esposa sobre Jerez.
Foi uma noite descontraída, e muito instrutiva , além de muiiiito saborosa.
Basta dizer que encerramos nossas atividades às 23:30h.
Hora de ir para cama.
Até outubro
Vera

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Espanha Tempranillo (Cluvinho)


CLUVINHO - SETEMBRO 2015

LOCAL - GRAND CRU MOEMA

TEMA - ESPANHA TEMPRANILLO


Não fugindo do tema tradicional do mês de setembro, a escolha dos vinhos foram feitas procurando pegar diferentes regiões. Todos os vinhos importados pela Grand Cru.
A abertura foi feita com um ótimo branco Abad Dom Bueno Joven 2014 da casta Godello, um vinho com boa estrutura, fresco e fácil de tomar, da região de Bierzo, elaborado em toneis de aço inox, GA - 13%, 4 anos de guarda, R$ 69,00.

As quatro amostras degustadas foram:

VEGA MORAGONA VIÑAS VIEJAS 2008 - Da região de Ribera del Jucar, produzido por La Magdalena, frutas vermelhas, taninos sedosos, GA - 14,5%, preço R$ 73,00, foi escolhido como terceiro na preferência.

VIÑA VILANO TEMPRANILLO RESERVA 2010 - De Ribera del Duero, produzido por Viña Vilano, 20 meses em carvalho francês e húngaro, frutas maduras, um pouco fechado, 12 anos de potencial de guarda, taninos suaves, bom corpo, GA - 14%, preço R$ 138,00, foi o preferido pelo grupo.

CUBO SELECCIÓN 2011 - De La Mancha, produzido por Bodega Candelaria, 11 meses em carvalho, frutas vermelhas, taninos presentes, RP - 90, guarda 8 anos, GA - 14%, preço R$ 61,00, foi o quarto na preferencia do grupo.

SEÑORIO DE LOS BALDIOS CRIANZA 2009 - Ribera del Duero, produzido por Bodegas Garcia Aranda, 6 meses em carvalho americano, frutas negras maduras, taninos suaves, elegante, 16 anos de guarda, RP - 93, GA - 14%, preço R$ 121,00, foi o segundo na preferência do grupo.

O jantar foi uma paleta de cordeiro acompanhada de risotto, o vinho que acompanhou foi o Bodegas Pablo Menguante Roble Tempranillo 2013, três meses em carvalho americano e francês, 100% tempranillo, da região Cariñena, 10 anos de guarda, GA - 14%,
preço R$ 58,00. Considero um excelente custo/beneficio, merece o investimento

Cred não nos abandone.

Taba

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Credvinho - Itália do Norte x Itália do Sul

CREDVINHO - AGOSTO 2015
LOCAL - RESTAURANTE GENOVA
TEMA - ITALIA DO NORTE x ITALIA DO SUL

Neste mês Rogério nos apresentou com muita propriedade a Itália do Norte x a Itália do Sul, salientando as grandes diferenças entre estes dois “países”.

De súbito elegeríamos os vinhos do norte mas não foi bem esta a escolha de nossos confrades.

Nosso encontro foi no Genova e, João, como sempre, preparou tudo com esmero.




Nosso vinho de boca foi Fantinei Borgo Tesis DOC Pinot Grigio 2013, branco equilibrado, com intenso frescor, aromas de flores, frutas e minerais. Provém de Friuli com 100% Pinot Grigio, GA 12,5%, amadurecimento em tanques inox e estimativa de guarda de 3 anos. Foi aprovado por todos e servido a 8 GC. R$65,00



Degustação:

1-Carpineto Chianti Classico Riserva DOCG 2009

Vinho produzido com 80% Sangiovese e 20% Canaiolo, GA 13,5%, 12 meses em barricas e 10 meses em garrafa. Vinho de rubi intenso, com aromas de frutas vermelhas, baunilha e carvalho e gosto aveludado e elegante. Foi o quarto escolhido da noite. R$115,00

2-Fratelli Dogliani Barolo Riserva DOCG 2006

Vinho produzido pela vinícola Batasiolo com aromas florais, frutas maduras e alcaçuz.100% Sangiovese, GA 14%. Rubi intenso com reflexos alaranjados. Aromas florais, especiarias madeira e couro e um gustativo intenso com estimativa de guarda de 15 anos. R$ 190,00

Foi o terceiro escolhido da noite para surpresa de todos.

3-Donnafugata Sedàra IGP 2011

Vinho intenso, maduro, sedoso e frutado. Fabricado pelas uvas Nero d ´Avola e outras uvas tradicionais da região.GA 13,6%, 9 meses em tanques de cimento e 3 meses em garrafa. R$ 120,00

Foi o segundo da noite.

4-Planeta Santa Sicilia 2007

Vinho de rubi intenso com aromas de especiarias ,tabaco, frutas maduras. Gustativo denso
e encorpado. GA 13,5% com amadurecimento 12 meses em barricas. R$ 212,00

Foi o primeiro escolhido.

Nesta noite o sul venceu o norte.

O jantar foi coroado com polpetone e fusili ao molho de tomate e spaghetti alho e óleo com alcachofras e lulas.





O vinho do jantar foi Appollonio Forte Canto Primitivo di salento Rosso IGT 2014.

Vinho 100% primitivo GA 14% ,de coloração vermelho rubi com reflexos púrpura e aromas de cerejas maduras, cogumelos e ervas secas.

Este vinho harmonizou-se muito bem com nosso jantar. R$ 58,50

Foi uma noite muito agradável iniciada com a apresentação do Rogério que se estendeu a histórias peculiares das regiões estudadas, como a do Gattopardo e do símbolo do Galinho do vinho Chianti.

Até setembro.

Um abraço

Vera

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Cluvinho - Vinhos Valduga


CLUVINHO - AGOSTO 2015
LOCAL - RESTAURANTE NOU
TEMA - VINHOS VALDUGA


Esta reunião aconteceu no dia 18/08 e foi totalmente às cegas, porque o preconceito com os vinhos nacionais existe e precisamos mudar, portanto esta degustação mostrou que possuímos ótimos vinhos, não deixando nada a desejar aos estrangeiros, este comentário foi unânime. O grande desafio dos vinhos nacionais é de ter uma grande diferença entre safras e nesta degustação também isto foi superado, como vocês verão abaixo nos comentários. 


Abrimos com o excelente espumante safrado GRAN RESERVA EXTRA BRUT 60 MESES - 2009, elaborado pelo método champenoise, com um corte de 80% de Chardonnay e 20% de Pinot Noir, este espumante fica 60 meses em autólise de leveduras, perlage fina e constante, aroma de amêndoas e fermento, remuage de 55 dias, cor dourado, feito com uvas do Vale dos Vinhedos, GA - 12%, preço R$ 120,00, tem qualidade para competir com os grandes espumantes estrangeiros.

As quatro amostras degustadas foram:


IDENTIDADE GRAN CORTE 2009 - Vinho super estruturado que deve ser decantado meia hora antes de ser degustado, mostra ter muita longevidade, creio que 2017 seja um bom ano para abri-lo, as uvas provenientes dos Vinhedos de Encruzilhada do Sul, um corte de Merlot, Arinarnoa e Marselan, colheita tardia, passa por malolática, rubi intenso, frutas vermelhas e especiarias, 12 meses em barrica de carvalho francês e 12 meses nas caves, GA - 13,5%, preço R$ 130,00, ficou em terceiro na preferência.


RAÍZES PREMIUM CABERNET SAUVIGNON 2012 - Vinhedos da região da Campanha, maceração por 10 dias, passa por malolática, 8 meses em carvalho francês, 12 meses nas caves, cor rubi violáceo, cassis, ameixa, especiarias, GA - 14%, preço R$ 61,80, foi o quarto na preferência


RAÍZES GRAN CORTE 2010 - Vinhedos na Campanha (Missões Jesuíticas), um corte de Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Tannat, colheita tardia, passa por malolática, 12 meses em carvalho francês, 18 meses nas caves, rubi intenso, café, frutas vermelhas, super elegante e estruturado, GA - 14,5%, preço R$ 130,00, ficou em segundo lugar.


RAíZES PREMIUM CABERNET FRANC 2012 - Vinhedos da região da Campanha, maceração por 10 dias, passa por malolática, 8 meses em carvalho francês, 12 meses nas caves, rubi intenso, morango, cereja, fácil de beber e muito agradável, GA - 13,5%, preço R$ 61,80 e foi escolhido como o campeão da noite.



O jantar teve duas opções maravilhosas, linguine ao molho de cogumelo e o lombo de suino ao molho de vinho tinto com polenta, para harmonizar foi servido o RAÍZES GRAN CORTE 2012, apesar de ser de safra diferente do da degustação, não havia nenhuma diferença entre as safras, apenas que esta por ser mais nova tinha um tanino um pouco mais sobressalente, porém macio sem agressividade. Nota 1000 à equipe do restaurante NOU, pela qualidade dos pratos e pelo serviço.

Cred não nos abandone.

Taba

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Cluvinho - Batalha Italiana

CLUVINHO - JULHO 2015

LOCAL - RESTAURANTE TONTON

TEMA - BATALHA ITALIANA

Esta reunião aconteceu no dia 21/07, todos os vinhos da degustação/jantar são importados pela DOMNO, empresa do Grupo Valduga. Foram colocados os vinhos top de cada região da Itália e o objetivo principal era reconhecer cada uma das amostras e conhecer os produtos importados pela DOMNO. Abrimos com o excelente branco 12 E MEZZO MALVASIA DEL SALENTO - 2013 da Puglia, um vinho de ótimo custo/beneficio, elegante e leve, afinamento em tanque de aço inox, boa persistência, produzido por Varvaglione, GA - 12,5%, R$ 64,50, recomendo fortemente.





As 4 amostras degustadas foram as seguintes:


BAROLO MONVIGLIERO DOCG 2007 - Este exemplar piemontês é produzido por Azienda Pietro Rinaldi, WS-90, 22 meses em carvalho francês, 8 meses na garrafa, taninos macios, 100% Nebbiolo, GA - 14,5%, R$ 398,80, bem característico, com personalidade foi escolhido como o terceiro na preferência.


AMARONE DELLA VALPOLICELLA DOC 2007 - Este maravilhoso Veneto é produzido por Monte del Frá, WS-93, 24 meses em carvalho francês, 8 meses na garrafa, corte de 80% Corvina e Corvinone e 20% Rondinella, típico com aroma de uva passa, GA - 15%, R$ 379,50, foi o segundo na preferência.


BRUNELLO DI MONTALCINO MASTROJANNI 2007 - Este típico toscano ainda com taninos levemente agressivo, JS-96, 100% Sangiovese, 36 meses em carvalho francês, 8 meses na garrafa, GA - 14,5%, preço R$ 436,50, foi o quarto na preferência.


PAPALE LINEA ORO PRIMITIVO DI MANDURIA 2012 - Este vinho grandioso da Puglia é produzido por Varvaglione Vigne & Vini, CMB - Ouro, 10 meses em carvalho francês e americano, 6 meses em garrafa, GA - 14%, R$ 198,50, foi escolhido como o melhor da noite.


No jantar foi servido um excelente Radiatore ao ragu de rabada e para harmonizar degustamos o siciliano NERO D'AVOLA 2012 produzido Baglio di Pianetto, 4 meses em tanque de aço inox, GA - 13%, R$ 107,90, não foi um vinho que agradou ao grupo por não parecer um típico Nero D'Avola, o serviço e a prato servido foram os pontos alto da noite, mais uma vez o TONTON confirmou a sua alta qualidade, recomendo este excelente restaurante localizado na Rua Caconde, 132.


Cred não nos abandone.


Taba

sábado, 18 de julho de 2015

Credvinho - Austrália

CREDVINHO - JULHO 2015
LOCAL -  ECULLY
TEMA - AUSTRÁLIA


Nosso encontro de julho foi  no Ecully com o tema Austrália,  que nos foi  apresentado, com muita propriedade, pela Silvia  e, mais uma vez, o grupo estava completo e animado.


Nosso vinho de boca foi Jacob's Creek 2013, Chardonnay, comprado no Pão de Açúcar, uma vez que a Grand Cru não possuía nenhum branco  Australiano. Vinho do Vale Barossa, GA 12,7%, boa acidez, frutas brancas e um pouco de mineralidade. É a marca australiana de vinho preferida por 7 entre 10 consumidores e exportada para 70 países. Agradou a todos. R$ 75,00.

Os vinhos da degustação foram todos do sul da Austrália  de dois produtores: Glaetzer e Heartland.

1-Glaetzer Wallace Shiraz Grenache 2012, Adelaide,  sendo 70% Shiraz e 30% Grenache , 14 meses em barricas de carvalho , GA 14,5%, potencial de guarda de 5 anos.De cor púrpura com taninos redondos demonstrando muita harmonia entre as duas cepas. R$165,00
Foi o terceiro escolhido.

2- Glaetzer BishopShiraz, 2012, Adelaide, 100% Shiraz, 14 meses em barricas de carvalho novo americano e francês, GA 14,5%, potencial de guarda de 5 anos.Vinho elegante e equilibrado.  R$248,00
Foi o segundo escolhido.

3- Heartland Cabernet Sauvignon, 2010, 100% Cabernet, 12 meses em barricas de carvalho francês, GA 14,5%, Langhorne Creek, potencial de guarda de 5 anos. Vinho que não expressou todas as características de um Cabernet Sauvignon, sem corpo, sem muito equilíbrio. R$115,00
Foi o quarto da noite.

4- Heartland  Shiraz 2010, 100% Shiraz, Langhorne Creek e Limestone Coast,GA 14,8%, 12 meses em barricas de carvalho francês e americano e potencial de guarda de 8 anos.
Este vinho, elaborado por duas vinícolas distintas apresenta cor intensa e viva, notas de chocolate, pimenta e tabaco, típicos de um verdadeiro Shiraz. R$115,00
Foi nosso escolhido da noite.




Nesse encontro aprendemos com Sílvia e com os vinhos degustados a apreciar o Shiraz Australiano.
Jantamos um Linguini a Cacio e Pepe tartufado com crisp de cogumelos ou risoto de grano padano com lascas de pato curado e azeite de chá preto.

O vinho do jantar foi um blend Shiraz, Cabernet Sauvignon, Dolcetto e Lagrein, Heartland Stickleback 2010, GA 14,5%, 12 meses em barricas de carvalho francês e americano,  Langhorne Creek, Adelaide.R$78,00
Tomamos um café e até agosto.

Um abraço
Vera

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Credvinho - África do Sul

CREDVINHO - JUNHO 2015
LOCAL -  GRAND CRU MOEMA
TEMA - ÁFRICA DO SUL


Nosso disputado encontro de junho foi realizado no Grand Cru Moema e o tema África do Sul nos foi ricamente apresentado por nosso querido Sugi que nos ensinou, graças  aos conhecimentos de sua esposa bióloga, que Pinotage, mistura de Pinot Noir e Cinsault, se efetua por polinização .







Os vinhos escolhidos foram todos da vinícola Remhoogte  da região de Stellenbosch, e iniciamos com nosso vinho de boca Chenin Blanc 2013  com GA 14,1% e amadurecimento por 7 meses em barrica de carvalho francês. Vinho que foi bastante apreciado.R$ 75,00.




Degustação:


1- Pinotage 2012, GA 15,3%, 15 meses em barrica de carvalho francês.R$ 111,00 .Foi nosso escolhido em segundo lugar e nos acompanhou no jantar.

2- Aigle Noir blend - 2011, sendo 42% Merlot, 32% Shiraz, 16%c. Sauvignon e 10% Pinotage.
GA 14,4% , 25 meses em barrica . foi nossa última escolha.R$ 120,00

3- Cabernet Sauvignon- 2008, GA 14,3%, Barricas de primeiro uso 80%.
FoI o escolhido da noite.Vinho equilibrado, pronto para beber.R$ 120,00

4- Shiraz 2011, GA 14,3%, 25 meses em barricas de carvalho francês e cubas.R$ 120,00
Foi o terceiro escolhido da noite.

Nosso jantar foi uma Entrecôte com cama da pupunha que estava simplesmente maravilhosa.
Ela foi acompanhada do Pinotage.


Encontro  gostoso ! ninguém queria ir embora.
Seria  pelo tema  ou pela apresentação do Sugi????????
Todos nós sabemos a resposta.
Até julho
Vera


quarta-feira, 17 de junho de 2015

Cluvinho - Espanha não é Tempranillo


CLUVINHO - JUNHO 2015

LOCAL - RESTAURANTE ECULLY

TEMA - ESPANHA NÃO É TEMPRANILLO


Depois de uma boa pesquisa conseguimos reunir estas amostras de espanhóis sem tempranillo . Todos os vinhos da degustação/jantar foram importados pela Grand Cru. Abrimos com o excelente EPILOGO BLANCO 2012, RP-90, produtor Yuntero, região La Mancha, 90% Sauvignon Blanc e 10% Moscatel, este corte faz diminuir a acidez final do Sauvignon Blanc, mas é fresco, longo e persistente, GA - 12,5%, preço R$ 75,00, este branco vale a experiência.




Os 4 vinhos da degustação foram os seguintes:

TARIMA HILL MONASTRELL 2010 - Da região Alicante, RP - 93, produtor Bodegas Volver, 100% Monastrell, vinhas com 40 a 75 anos, 14 meses em carvalho francês, 12 anos de guarda, GA - 15%, preço R$ 131,00, ficou em primeiro lugar na avaliação do grupo.

XABEC MONTSANT 2008 - Da região Montsant na Catalunha , RP - 92, produtor Celler Beslum, um corte de 50% Garnacha e 50% Cariñena (Samsó), 14 meses em carvalho francês, vinhas com mais de 40 anos, 10 anos de guarda, GA - 14%, preço R$ 70,00 e foi escolhido em segundo pelo grupo.

GOTIN DEL RISC 2010 - Da região Bierzo, RP - 91, 100% Mencia, produtor Bodega Del Abad, 5 meses em carvalho, vinhas com mais de 50 anos, 6 anos de guarda, biodinamico, GA - 13,5%, preço R$ 72,00, foi escolhido em quarto pelo grupo.

CELLER BESLUM 2011 - Da região Montsant, RP - 93, produtor Celler Beslum, um corte de 50% Garnacha e 50% Cariñena, 16 meses em carvalho francês novo, 15 anos de guarda, GA - 14%, preço R$ 90,00 e foi escolhido em terceiro pelo grupo.

O restaurante Ecully fica localizado nas Perdizes, comandado por um casal de jovens talentosos, hoje eles tem também uma loja da Grand Cru, onde o cliente escolhe o vinho para o jantar e paga o valor de prateleira, no nosso jantar foi dado 3 opções: um Entrecôte com batata ao molho de mostarda de Dijon e crisp de bacon, Peixe do dia com crosta de mandioca com purê de brócolis e couscous de couve flor e um Carré de cordeiro com molho de Bordeaux, purê de batatas assadas e castanhas do Pará. 

O jantar foi harmonizado com o ótimo espanhol TARIMA ORGÂNICO 2012, este vinho é 100% Monastrell, RP - 90, guarda 5 anos, excelente custo/beneficio, GA - 14,5%, preço R$ 53,00 (ótima surpresa).

Cred não nos abandone

Taba

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Credvinho - Vinhos Californianos

CREDVINHO - MAIO 2015
LOCAL -  GENOVA RESTAURANTE
TEMA - VINHOS CALIFORNIANOS

Nosso encontro de maio foi no Genova para matarmos as saudades do João e de suas comidinhas. Degustamos vinhos californianos, mais especificamente das regiões de Sonoma e Napa Valley. O microclima, característico destas regiões, favorece a produção de vinhos Varietais que foram os escolhidos para nossa degustação:

Boca: Estrella Chardonnay 2013 do Napa, do produtor Bronco Wine Company, sendo 78% Chardonnay, 9% French Colombard, 6% Pinot Grigio, 3% Muscat e 4% outras cepas. GA- 12,5% R$54,00. Vinho amarelo esverdeado com notas de frutas, bom fresco e leve amanteigado. Agradou a todos.




1-Meiomi Pinot Noir 2012, Sonoma, Caymus Vineyards,GA 13,8%, R$177,20.
Caráter frutado ,artesanal, exuberante mas muito equilibrado. Cor granada.
Foi o escolhido da noite.

2-Crane Lake Cabernet Sauvignon 2012, Bronco Wine Company, sendo 76% Cabernet Sauvignon e 24% Mixed Red, GA 12,5%, R$62,00.Taninos suaves e notas de frutas vermelhas. É um dos vinhos mais comercializados nos EUA. Foi o segundo escolhido.

3-Francis Coppola Diamond Collection Zinfandel 2012, Sonoma, Francis Ford Coppola Winery, sendo 73% Zinfandel,23% Petite Sirah e 1% Sirah,GA 13,6%, R$198,00. Os vinhos desta coleção são feitos de uvas provenientes de vinhedos de toda Califórnia com uvas de diferentes terroirs o que confere maior complexidade ao vinho. Coloração vermelho granada e aroma frutado com acidez e taninos equilibrados. Foi o terceiro escolhido.

4-De Loach Merlot 2012,Sonoma, De Loach Wineyards, sendo 82% Merlot, 15% Petite Syrah e 3% Cabernet Sauvignon, GA 13,5% R$110,00.Vinho de textura suave, herbáceo, cor não muito intensa e com poucos taninos. Foi o quarto a ser escolhido.

Este vinho também acompanhou nosso jantar.
Tentamos identificar as castas mas reconheço ser este um trabalho bastante difícil.

A Cabernet Sauvignon e a Zinfandel foram as mais identificadas.

João nos preparou sua famosa mesa de entradinhas e para o jantar tivemos duas opções de massas sendo um Rotolo de espinafre com molho pomodoro e um Fettuccine profumo de Bosco (funghi porcini).

Foi mais um encontro muito agradável e acredito termos tido a oportunidade de conhecer mais a fundo os vinhos Californianos.

Um abraço e até junho,

Vera

domingo, 24 de maio de 2015

Tintos Bordeaux com mais de 90 pontos RP e WS

CLUVINHO - MAIO 2015
LOCAL - RESTAURANTE NOU
TEMA - TINTOS BORDEAUX COM MAIS DE 90 PTOS RP E WS


Depois de uma profunda pesquisa conseguimos reunir estas amostras. Todos os vinhos da degustação foram importados pela World Wine. Abrimos com uma excelente Champagne Montaudon Brut, 92 ptos. na WS, esta jóia é importada pela wine.com.br, não safrada, corte tradicional Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier, 20% passa por barrica de carvalho, GA - 12%, preço R$ 98,00.



Os 4 vinhos da degustação foram os seguintes:


CHÂTEAU BRANAIRE-DUCRU 2006 - Da região de Saint-Julien, RP - 90 e WS - 90, um corte de 70% Cabernet Sauvignon, 22% Merlot, 5% Cabernet Franc e 3% Petit Verdot, é um 4ème GCC, vinhas com 35 anos, 1/3 passa por malolática, 50% por carvalho novo por 18-24 meses, GA - 13%, preço R$ 585,00, ficou em quarto lugar na avaliação do grupo.

CHÂTEAU PUYGUERAUD 2009 - Da região Côtes de Francs, Gironde Alto, RP - 90 e WS - 90, da Familia Thienpont, um corte de 70% Merlot, 25% Cabernet Franc e 5% Malbec, tornou-se primeiro vinho em 1983, GA - 14,5%, preço R$ 198,00 e foi escolhido o terceiro pelo grupo.

CHÂTEAU MALARTIC-LAGRAVIÈRE 2010 - Da região Pessac-Léognan, RP - 94 e WS - 93, um corte de 45% Merlot, 45% Cabernet Sauvignon, 8% Cabernet Franc e 2% Petit Verdot, é um GCC Graves, de 15-22 meses em carvalho, GA - 14,5%, preço R$ 660,00, foi escolhido o segundo pelo grupo. Apenas um entendido colocou a amostra em primeiro lugar, a modéstia me impede qualquer comentário.

CHÂTEAU FOMBRAUGE 2010 - Da região Saint-Emilion, RP - 91 e WS - 92, um corte de 77% Merlot, 14% Cabernet Franc e 9% Cabernet Sauvignon, é um GCC, GA - 14,5%, preço R$ 270,00 e foi escolhido o numero um pelo grupo.

O restaurante Nou fica localizado em Pinheiros, comandado por jovens talentosos, para mim eles preparam um dos melhores magret de pato de São Paulo, no nosso jantar foi servido um mix de folhas verdes e como prato principal teve duas opções, um medalhão com linguine ao molho de funghi ou um risotto de aspargos e brie com presunto de Parma e rúcula , harmonizado com um ótimo Bordeaux da casa Baron Philippe de Rotschild, LA BÉLIÈRE ROUGE 2012, importado pela wine.com.br, este vinho é um corte tradicional bordalês, vinificado em tanques de inox, GA - 13,5%, preço R$ 60,00 (ótima surpresa). 
 
Não podia deixar de registrar a gentileza, do nosso amigo Demarco, em presentear o grupo com um COS D'ESTOURNEL 1997 da região de St. Estèphe.

Cred não nos abandone.

Taba

terça-feira, 28 de abril de 2015

Vinho branco do Uruguai



CLUVINHO - ABRIL 2015
LOCAL - RESTAURANTE GENOVA
TEMA - VINHO BRANCO DO URUGUAI

Este é um tema inusitado no nosso grupo, pois nunca havíamos feito nestes 16 anos de vida do Cluvinho. O importante é que tivemos surpresas muito interessantes e positivas.

Abrimos com o excelente MARICHAL RESERVE COLLECTION PINOT NOIR - BLANC DE NOIR - CHARDONNAY 2012, um branco levemente rosado, da Bodega Marichal de origem espanhola das Ilhas Canárias, com um corte de 60% Pinot Noir e 40% Chardonnay, da região de Etcheverria (Canelones), fermentado em barricas americanas e francesas e depois 65% passa por 3 meses nas barricas para afinar, cor rosa claro, aroma de frutas cítricas e abacaxi, na boca complexo de sabor intenso, untuoso e delicado, GA - 13%, R$ 98,00, importado pela Ravin.

Os 4 vinhos da degustação foram os seguintes:

ESTIVAL 2012 - Produzido por Viñedos de Los Vientos, da região Atlantica, o 2011 foi considerado o melhor branco uruguaio pelo Descorchados e avaliou esta safra com 90 pts., corte de 60% Gewurstraminer, 30% Chardonnay e 10% Moscato Branco, importado pela Wine.com.br, cor amarelo brilhante, aroma cítrico com toque floral, na boca frutado, untuoso e bom frescor, GA - 12,5%, R$ 55,00, foi eleito o terceiro da noite.

BOUZA ALBARIÑO 2014 - Produzido pela Bodega Bouza, da região de Canelones, não passa em barrica, 100% Albariño (castas da Galicia), importado pela Decanter, cor palha escerdeada, aroma limão e pêra, na boca equilibrado, médio corpo e complexo, GA - 13%, R$ 121,00, foi eleito o segundo na preferencia.

GARZON ALBARIÑO 2014 - Produzido pela Bodega Garzon, da região próxima de Punta del Este e La Barra a 18 km do Oceano, zero barrica, 100% Albariño, importado pela World Wine, cor amarelo esverdeado, aroma de fruta s cítricas e toque floral, na boca leve com excelente frescor, boa persistência, GA - 13%, R$ 60,00, foi o primeiro na preferencia.

MARICHAL PREMIUM VARIETAL SAUVIGNON BLANC 2013 - Produzido pela Bodega Marichal, 4a. geração da família, vinhedos região sul do Uruguai e 25 km do Atlantico, 100% Sauvignon Blanc, importado pela Ravin, cor amarelo brilhante, aroma cítricos, maçã e aspargo, na boca fresco e intenso, GA - 13%, R$ 60,00, foi eleito em quarto.

No jantar tivemos um Fettucine al Gorgonzola ou com Profumo di Bosco acompanhado do Estival 2012, sem esquecer o tradicional antepasto da casa.

Cred não nos abandone

Taba

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Credvinho - Vinhos da Alsácia

CREDVINHO - ABRIL 2015
LOCAL -  DE LA CROIX
TEMA - ALSÁCIA

Nosso encontro de abril  foi no de la Croix, lugar muito agradável e bem estruturado para degustações. Daniel, o gerente, nos auxiliou na escolha dos vinhos, do menu, e na apresentação dos vinhos durante a degustação.
Nosso tema foi Alsácia, região franco - germânica renomada por seus vinhos brancos, responsáveis por 92% da vitivinicultura local.
Os vinhos foram de 2 vinícolas bastante conhecidas: Domaine Bott-Geyl, que existe desde 1795 com propriedades localizadas em 4 dos melhores Grand Cru da região e o Domaine Zind- Humbrecht com tradição de 400 anos na produção de vinhos da Alsácia com vinhos orgânicos e biodinâmicos .



Nosso vinho de boca foi o Gentil d'Alsace, 2012, do Domaine Bott-Geyl,blend de Muscat, Riesling, Sylvaner, Pinot Blanc e Pinot Gris. Lembramos que os vinhos Alsacianos são geralmente varietais sendo esta uma assemblage que deu certo com notas florais e especiarias, boa mineralidade e persistência. Está pronto para beber, mas pode ser guardado por mais 5 anos.GA 12%, R$58,00.

1-Muscat Les Élements, 2012, Domaine Bott-Geyl, varietal.
Vinho com explosão de frutos e flores brancas. Pronto para beber mas pode ser guardado por mais 10 anos.GA 13%, R$85,00.

2-Pinot d "Alsace Métiss, 2012, Domaine Bott-Geyl.Blend de Pinot Blanc, Pinot Gris, Pinot Noir e Pinot Auxerrois.Vinho de coloração dourada,aromas de defumado, limão e avelãs. Na boca sabores de nozes, boa mineralidade e acidez.GA 12,5%, R$79,00.

3-Riesling Terroir d'Alsace, 2012, Domaine Zind- Humbrecht, varietal.
Vinho cor de palha com nuances cítricas, boa mineralidade, toques de frutas em compota como maçãs, grande frescor. Pronto para beber podendo ser guardado por mais 10 anos.GA 13,3%, R$139,00

4-Gewurztraminer Les Élements, 2010, Domaine Bott-Geyl, varietal.Vinho de cor palla amarelo dourada apresentando aromas de frutas maduras como pêssego e ameixas brancas, cravo e noz-moscada.Bastante corpo e delicada persistência.GA 13,5%, R$129,00.

5-Pinot Noir Heimbourg, 2012, Domaine Xind-Humbrecht,varietal.
Vinho de cor rubi escura, intenso com aromas de frutas vermelhas e cerejas. Na boca é delicado com taninos elegantes e boa persistência.GA 12,8%, R$211,00

O Riesling foi o preferido da noite seguido do Gentil (boca), Muscat, Pinot d 'Alsace, Gewurstraminer e Pinot Noir. Acredito que em meio a tantos brancos expressivos o Pinot Noir não teve espaço para mostrar suas qualidades.

Queijos, frios , pães acompanharam nossa degustação que foi muito agradável .

Até maio,
Abraços,
Vera

                                                                                                                                                           

domingo, 22 de março de 2015

Credvinho - Bourgogne

CREDVINHO - MARÇO 2015
LOCAL - RESTAURANTE AU VIN
TEMA - BOURGOGNE


Iniciamos nosso ano de 2015 no restaurante Au Vin com uma palestra de Jean RAQUIN sobre a Bourgogne. Jean trouxe alguns vinhos da França e outros foram comprados na Decanter.

Vinho de boca: Bouzeron, Domaine Chanzy, 2012, Saône-et-Loire. Uva Aligoté Doré que tem mineral intenso mas muito equilibrado, lembrando um Chardonnay. Vinho para 3 anos de guarda. Este é o vinho que acompanha o pão de queijo francês Gougère, servido nos casamentos franceses.

Vinho 1 - Montagny 2008 1er Cru, Domaine Henri de Villemont, Chardonnay, 13,5% TA, aromas de mel, mineralidade presente, acidez alta devido ao solo granítico, pouca madeira.
Vinho para 10 anos de guarda que agradou a todos.

Vinho 2- Hautes Cotes de Nuit, Cuvée Les Dames de Vergy, Domaine Antonin Guyon, Pinot Noir, 2012, 12,5% TA.
Vinho de cor rubi claro, boa acidez, podendo aguardar mais uns 2 anos para ser aberto.


Vinho 3- Domaine Francois Labet, Vieilles Vignes, 2011, 12,5% TA.
Apesar da safra 2011 este vinho apresentou cor violeta escuro, com aroma de "bois" e terroso no paladar tendo sido considerado um vinho evoluído.

Vinho 4- Clos de la Fortune Monopole, Domaine Chanzy, 2011, Pinot Noir, 12,5% TA.
Vinho com taninos equilibrados, cor rubi, frutas vermelhas. Este vinho foi do mesmo Domaine do nosso vinho de boca e ambos foram apreciados.

Vinho jantar- Mercurey Chamirey, Domaine François Raquillet, 2009, TA 12,5%.
Vinho de cor rubi, aroma de frutas vermelhas taninos equilibrados. Este vinho agradou a todos.

Não fizemos, desta vez, avaliação e escolha pessoal dos vinhos pois Jean analisou cada um deles à medida em que foram servidos.



O João e Patric capricharam no menu e nos ofereceram 4 entradinhas: feijão preto com couve, batatinha com maionese, rabanete e pó de azeitona, mandioca cozida com funghi porcino e brie com beterraba e cebola caramelizada.
Tivemos ainda um prato principal escolhido entre Atum, Entrecôte, e Porco, e de sobremesa arroz doce com manga ou pera e salada de abacaxi com imisções em calda. Café.

Aprendemos muito, comemos muito e bebemos muito.
Até abril.
Vera

quinta-feira, 19 de março de 2015

Vinho rosé pelo mundo

CLUVINHO - MARÇO 2015
LOCAL - GRAND CRU MOEMA
TEMA - VINHO ROSÉ PELO MUNDO

Este tema foi escolhido em homenagem às mulheres, já que neste mês ocorreu o dia Internacional da Mulher e nos trouxe uma agradável surpresa com as amostras degustadas. Foram Vinhos Rosé da África do Sul (abertura) e na degustação vinhos da Europa e no jantar um Rosé chileno. Evitamos o Rosé da Provence que é um exemplar diferente.



Abrimos com um KLEIN CONSTANTIA ROSÉ 2013, importado pela Grand Cru, da região de Stellenbosch, um excelente rosé, 100% Cabernet Franc, de cor salmão claro, aroma de morango, tangerina, na boca muito fresco e ligeiramente picante, GA - 12,8%
Guarda 3 anos, R$ 65,00, ótimo custo/beneficio.

CASTELLO DI MAGIONE BELFIORE ROSATO 2013 - Este italiano da região da Umbria, sub-região Colli dei Transimeno, é feito com 100% da uva Grenache ou Gamay del Transimeno, importado pela Decanter, cor salmão, aroma levemente floral e frutado, na boca frutas vermelhas e fresco, guarda 2 anos, GA - 13%, R$ 72,80, foi o quarto na preferência

DONA MARIA ROSÉ 2011 - Este português alentejano já foi premiado como melhor rosé português, é um corte de 60% Aragonês e 40%Touriga Nacional, importado pela Decanter, cor salmão, aromas cítricos, tangerina e frutas vermelhas, na boca mineral, fresco e elegante, guarda 3 anos, GA - 12,5%, R$ 105,70, foi o terceiro na preferência.

ALAIN BRUMONT ROSÉ 2013 - Este francês de uma região a sudoeste da França, Mandiran (terra da uva Tannat) é feito de um corte inusitado 50% Tannat, 30% Syrah e 20% Merlot, importado pela Decanter, cor rosa tênue, aroma de framboesa, leve floral e bala confitada, na boca fresco, muita fruta e médio corpo, guarda 4 anos, GA - 12,5%, R$ 69,20, foi o segundo da noite.

PRADO REY ROSADO FERMENTADO EN BARRICA 2013 - Este espanhol foi o único da noite que passou por madeira, aqui no caso 3 meses em carvalho russo, da região de Ribera del Duero (Burgos) de 7 vinhedos diferentes, um corte de 50% Tempranillo e 50% Merlot, importado pela Decanter, cor de cereja, aroma de cereja, baunilha e tostado, na boca encorpado, boa acidez e final longo, guarda 5 anos, GA - 14%, preço R$ 76,50, primeiro na preferência.

O jantar foi um excelente Lombo de Bacalhau a Moda do Chef, harmonizado com o ótimo LEYDA RESERVA ROSÉ PINOT NOIR 2013, vinho importado pela Grand Cru, um chileno do vale do Leyda, cor de cereja, aroma de morango e cereja, na boca frescor e ótima acidez, guarda 4 anos, GA - 13%, R$ 51,00, fantástico custo/benefício.

Cred não nos abandone.

Taba

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Vinhos tintos do Douro até R$50

CLUVINHO - FEVEREIRO 2015
LOCAL - RESTAURANTE MIMO
TEMA - VINHOS TINTO DOURO ATÉ R$ 50,00

Esta degustacão eu organizei pensando no amigo Gentil, que quer sempre dicas de Ótimo Custo/Beneficio. Nossa reunião aconteceu no dia 24/02 no restaurante MIMO, que podemos classificar como contemporâneo. E realmente ficou provado que podemos apreciar vinhos de boa qualidade sem pagar muito, mas exige muita procura.

Abrimos os trabalhos com o espumante AIDA MARIA BRUTO ROSE RESERVA 2007, um excelente espumante do DOURO (Portugal), 100% Touriga Nacional, cor salmão, perlagem fina, aroma fresco e citrico, na boca fresco e frutado, método clássico, foi escolhido na EXPOVINIS de 2013 como melhor espumante estrangeiro, GA - 12,5%, importado por Terra à Terra, R$ 126,00.


MEIO QUEIJO TINTO 2011 - Produzido por Churchill's Graham Ltda., um corte de 40% Touriga Nacional, 30% Touriga Franca e 30% Tinta Roriz, importado pela Winebrands, vermelho violáceo, aroma floral e frutas vermelhas, na boca frutado e boa persistência, GA - 14%, R$ 59,00, mas compramos por uma oferta de R$ 50,00, foi o preferido da noite.


PERENE TINTO 2012 - Produzido pela Casa Santa Eufemia, um corte de Touriga Nacional, Tinta Barroca e Tinta Roriz, importado pela TerraaTerra, grená, aroma cacau/café, ameixa e cassis, na boca acidez equilibrada, tanino acentuado, GA - 14,5%,
R$ 50,00, foi o quarto da noite.



TONS DE DUORUM TINTO 2013 - Produzido pela DUORUM, corte de 50% Touriga Franca, 30% Touriga Nacional e 20% Tinta Roriz, importado pela Casa Flora, amadurecimento em carvalho francês usado por 8 meses, vermelho rubi, aroma de frutas escuras tipo ameixa e amoras, na boca acidez equilibrada, corpo médio, taninos maduros, a safra 2012 recebeu 90 pontos da WS, GA - 13,5%, R$ 42,00, foi escolhido o segundo melhor.



ANIMUS 2012 - Um DOC, produzido por Vicente Leite de Faria, na sub-região Cimo Corgo, corte de 34% Touriga Franca, 33% Touriga Nacional e 33% Tinta Roriz, importado por RAMA, vermelho grená, aroma de frutas vermelhas e madeira, na boca taninos macios, amoras e morangos, GA - 13,5%, R$ 50,00, foi escolhido o terceiro da noite


Antes do jantar degustamos o INQUIETO 2010 DOC, produzido pela Douro Prime, um Douro Superior, 100% Touriga Nacional, é vinho que está num patamar acima dos demais, por isto foi provado à parte, passa por lagares de granito com pisa mecânica, 12 meses em carvalho francês e 8 meses na garrafa, cor púrpura, aroma de frutas negras, minerais e leve tostados, na boca taninos macios e boa persistência e muito elegante, GA 0- 14%, R$ 80,00, um excelente Douro.

No jantar o vinho que acompanhou foi o Meio Queijo Tinto 2011, sendo o cardápio elaborado pela proprietária Fernanda Duarte. Foi servido de entrada tartines de 4 sabores, o prato principal foi um Filé Mignon acompanhado de purê de batata doce roxa e berinjela glaceada e na sobremesa uma torta de amêndoas e abacaxi com sorvete de coco, realmente foi uma noite perfeita.

Cred não nos abandone.

Taba

As últimas aqui no blog