In Memoriam Credidio Rosa (4/9/1938 - 6/8/2014)

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Vinhos Tintos Premium Brasileiros



CLUVINHO - JANEIRO 2015
LOCAL - RESTAURANTE GENOVA
TEMA - VINHOS TINTOS PREMIUM BRASILEIROS


A reunião deste mês aconteceu no dia 20/01, e este foi um evento que exigiu muita pesquisa. O objetivo era degustar vinhos de vinícolas que produzem vinhos finos e que façam coisas diferentes para enriquecer o vinho nacional e sejam menos conhecidas em termos de elaboração diferenciada na produção dos vinhos.

Degustamos vinhos das seguintes vinícolas: Luiz Porto Vinhos Finos, Don Abel, Guaspari, Masi/Zanini e Luiz Argenta.

Para ficar uma degustação mais simples para avaliarmos, nós dividimos em 2 grupos, os mais simples e os mais complexos, de acordo com as características de cada um. Todos os vinhos agradaram, apenas um vinho estava "morto" e não foi avaliado, a classificação é puro gosto pessoal e ela feita usando uma média ponderada das votações.

Um pequeno resumo das vinícolas

LUIZ PORTO VINHOS FINOS - Localizada em Cordislândia, no sul de MG, vinhedos a 800 metros, fundada em 1980, fazenda de café, leite e cavalos, a paixão de vinhos se iniciou em 2005, utiliza a dupla poda ou inversão de ciclo, 8 variedades de casta, utiliza cubas de aço inox, barricas francesas e americanas e maquinário italiano. Duas linhas de produto: Luiz Porto e Dom de Minas.

DON ABEL VINHOS PREMIUM - Localizada na cidade de Casca, na serra gaúcha à 100 km de Bento Gonçalves, vinhedos a 800 metros, inaugurada em 1999. Em 2005 produziu o primeiro vinho, três castas tintas e uma branca, usa carvalho francês.

VINÍCOLA GUASPARI - Localizada em Espirito Santo do Pinhal - SP (200 km de São Paulo), terras altas de 800 a 1300 metros, começa em 2001, plantio em 2006, 2 anos após surge a vinícola, primeiro vinho artesanal em 2008, tem consultoria de enólogos da Austrália, Rhone, EUA, Portugal e Chile, região com noites frescas e dias ensolarados, solo seco e ótima drenagem, safra no inverno, manejo de dupla poda, 12 terroirs (vista), 9 castas, tanques de concreto e barricas de carvalho francês.

MASI ZANINI - Localizada no Vale dos Vinhedos, na serra gaúcha, 10 anos de trabalho, Masi o Rei do Amarone no Veneto e L H Zanini o enólogo da Vallontano. Objetivo é ter um vinho com 20 anos de guarda, produz só o ORIUNDI, usando a técnica de appassimento durante 30 dias, três castas: Teroldego, Tannat, Tempranillo e Ancelota, menos de 100 caixas.

VINICOLA LUIZ ARGENTA - Localizada em Flores da Cunha - RS, vinhedos em Altos Montes à 880 metros, primeiras plantas 1931, em 1999 os filhos de Luiz Argenta compram a propriedade, vinícola fica pronta em 2009, a Revista Adega considera uma das mais belas do mundo. Três linhas de produto: LA Jovem, LA e Luiz Argenta, 16 variedades de castas, fermentação em aço inox, vinificação por gravidade, amadurecimento em barrica de carvalho francês de 225 litros.


Abrimos os trabalhos, para ativar a boca, com o GUASPARI SAUVIGNON BLANC 2012, um varietal com 80% Chardonnay e 20% Sauvignon Blanc, parte da fermentação em tanques de concreto (ovo), outra parte em carvalho francês, malolática na barrica, após 12 meses se faz a assemblage dos tanques, um aroma mineral e pouco frutado, diferente dos Sauv. Blanc do hemisfério sul, notas cítricas no nariz e na boca, bem untuoso, pode ser comprado na Rouge Brasil, GA - 14%, R$ 89,00.

PRIMEIRO GRUPO



DON GRAN RESERVA 2005 - Vinicola Don Abel, 70% Cabernet Sauvignon e 30% Merlot, 6 meses em madeira, trazido pela Zahil, GA - 14%. Este vinho não foi avaliado por estar alterado e turvo e talvez alem do limite da vida da amostra.

GUASPARI SYRAH VISTA DO CHÁ 2011 - Vinícola Guaspari, 100% Syrah, malolática na barrica, fermentação em aço inox, 24 meses em carvalho francês, visual grená, aroma de café, ameixa e cacau, na boca pronto e elegante, GA-14%, R$ 129,00 foi o preferido do grupo.

DOM DE MINAS SYRAH 2012 - Da Luiz Porto, 100% Syrah, colheita em 07/2012, na garrafa desde 10/2013, 4000 grfs., fácil de beber, aroma de frutas negras, na boca elegante e agradável, GA-13%, preço R$ 30,00 foi o terceiro na preferência.

LUIZ ARGENTA MERLOT 2009 - Este vinho 100% Merlot, 12 meses em carvalho francês, aroma levemente frutado, tabaco, na boca pronto e fácil de apreciar, tem uma avaliação próxima do Dom de Minas, GA-13%, preço R$ 78,00 foi o quarto na preferência.

LA CABERNET SAUVIGNON 2011 - Da Luiz Argenta, 100% CS, 9 meses em carvalho francês, aromas não caracteristico de um CS, mas toque de especiarias e tabaco, na boca elegantérrimo e pronto, GA-12,5%, preço R$ 49,00 foi o segundo na preferência,


SEGUNDO GRUPO



ORIUNDI - Apesar das técnicas usadas pelo Amarone, não se percebe as notas adocicadas, bem estruturado e deve evoluir, quem distribui é a Mistral, GA-13%, R$ 127,00 foi o quarto na preferência

LUIZ PORTO CABERNET SAUVIGNON 2012 - Este vinho deve evoluir, estagiou 12 meses em carvalho francês, colheita em 2012, na garrafa desde de 03/2014, aroma de musgo, terra, complexo, GA-13,5%, preço R$ 50,00 foi o quinto na preferência.

ROTA 324 2012 - Da Don Abel, este 100% Cabernet Sauvignon, mostrou personalidade e toques de pimenta no seu aroma, fermentacão em tanques inox, 12 meses em carvalho francês novo, GA-13%, preço R$84,00 foi o terceiro na preferência.

LUIZ ARGENTA CUVÈE 2005 - Este vinho é um corte 50% Merlot e 50% Cabernet Sauvignon, 14 meses em barrica de carvalho francês, complexo e pronto, aroma de especiarias, GA-13,8%, preço R$ 148,00 foi o segundo na preferência

GUASPARI SYRAH VISTA DA SERRA 2011 - Este vinho foi destacado pelo Jorge Lucki, maceração em cuba inox, 100% malolática em barrica, 24 meses em carvalho francês, aroma de café, frutas negras, pimenta negra e cacau, na boca encorpado e elegante, vinho pronto, GA-14%, R$ 129,00 foi o primeiro na preferência.

O jantar foi um maravilhoso fusilli ao pomodoro com polpettone e o tradicional e irresistível antepasto.

Cred não nos abandone

Taba

sábado, 10 de janeiro de 2015

Credvinho dezembro - Espumantes ou Borbulhantes

CREDVINHO - DEZEMBRO 2014
LOCAL - GRAND CRU MOEMA
TEMA - ESPUMANTES OU BORBULHANTES


A nossa última reunião de 2014 foi, conforme a tradição, na Grand Cru Moema com o tema: Espumantes ou Borbulhantes.

Estes maravilhosos vinhos foram descobertos por acaso nos anos de 1700 na região de Champagne quando vinhos jovens foram engarrafados antes do término da primeira fermentação, aprisionando o dióxido de carbono na garrafa e dando ao líquido efervescência.



Para nosso vinho de boca tomamos, em homenagem ao nosso eterno e grande chefe Credidio, o Espumante Maria da Valduga e brindamos a ele por tudo o que fez por nós e nossas boas intenções em continuarmos seu trabalho.



Eduardo nos preparou 4 pratos que acompanharam nossos 4 vinhos:

1-carpaccio de atum com ovas de samagô
Vinho: Prosecco Giustino B
Vinho floral e delicado tanto no nariz como no palato
Produtor Ruggeri,Veneto, 100% Prosecco, 11,5 % vol.

2- tartare de salmão sobre cama de quinoa
Vinho: Castellroig Cava Brut nature reserva corte
Cava de aroma fresco, mineral tostado e floral.Tem no palato volume, equilíbrio, seco e persistente.
Blend das uvas Macabeo, Parellada e Xarel-lo, com 12 meses de envelhecimento em barris e 12% vol, com potencial de guarda de 5 anos.

3-creme de manchego com croutons de pancheta
Vinho: Crémant de Bourgogne Guy Amiot Rosé
De um rosa pálido com aromas complexos e longo perlage. A Pinot Noir lhe confere um frutado sedutor e refrescante.
100% Pinot Noir, 12%vol., com 5 anos de potencial de guarda.

4-Ofner de frutas com creme de Mirtillo
Champagne Gosset Rosé Brut
Intensidade aromática, frescor e presença marcante no palato.
58% Chardonnay, 35% Pinot Noir, 7% Pinot Meunier com potencial de guarda de 3 anos.

Qual foi nossa escolha?
Cava, espumante nacional, Crémant, Prosecco e Champagne

Dá para entender? Com certeza!

Agradeço em meu nome e do Jair os votos de confiança em nós depositados e a excelência do grupo quanto à participação , dinamismo, entusiasmo e cooperação.
Que nosso grupo seja eterno e que consiga transmitir ás próximas gerações este amor pelo vinho e que consigam manter um grupo simpático e interessado como o nosso.
Um Feliz Natal e um Feliz 2015 a todos.

Vera

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Espumante rosé de todo tipo

CLUVINHO - DEZEMBRO 2014
LOCAL - GRAND CRU MOEMA
TEMA - ESPUMANTE ROSÉ DE TODO TIPO


A reunião deste mês ocorreu em 15/12, seguindo a tradição este é o mês dos espumantes, nesta procurei colocar só espumantes rosé, de diferentes países (novo e velho mundo), com corte e varietal, método champenoise e charmat, safrado e não safrado. Apenas mudamos a sequência, nesta não tivemos uma abertura e sim um fechamento com uma champagne tradicional, pois eu acho uma covardia comparar espumante com champagne, pois abrir com o melhor estragaria a degustação.




AURORA ESPUMANTE BRUT ROSÉ - Este espumante produzido Aurora tradicional vinícola brasileira, com um corte de Pinot Noir e Riesling Itálico, amadurecimento em alto clave, prensagem suave, método charmat, perlage fina e persistente com um rosado forte, aroma frutado, floral e pão tostado, na boca acidez moderada, médio corpo e muito refrescante, GA - 12,5%, preço R$ 42,00, foi o segundo na preferência.

ESPUMANTE CAVA CODORNIU PINOT NOIR - Este espumante espanhol produzido pela tradicional Codorniu, maior proprietário de vinhedos da Espanha, na Catalunha em Penedes, de uva Pinot Noir, método champenoise, importado pela Todovino, perlage fina e persistente, rosa claro, aroma de framboesas, morangos e fermento, na boca cítrico e ótimo frescor, GA - 11,5%, preço R$ 96,00, foi o primeiro na preferência.

BOTTEGA GOLD ROSE - Espumante italiano produzido por Bottega na região do veneto, de uva Pionot Nero (Noir), colheita manual, método charmat italiano durante 60 a 90 dias a temperatura de 14 graus, importado por Grand Cru, perlage fina, cor de pessego, aroma floral, groselhas e morango, sabor fresco, boa acidez e persistente, GA - 11,5%, preço R$ 155,00, foi o quarto na preferência.

ESPUMANTE BAGA ROSADO BRUTO 2010 - Espumante português, produzido por Luis Pato, na região da Bairrada, com a uva Baga 90% e Maria Gomes 10%, colheita manual, leve prensagem, fermentação em barricas usadas de carvalho frances e americano durante 4 meses, matura de 6 a 9 meses em garrafa, método champenoise, importado pela Mistral, rosé forte, perlage fino, aroma fresco e fermento, na boca fresco de corpo médio, GA - 12%, preço R$ 96,00, foi o terceiro na preferência.

O fechamento iniciou com uma saudação ao eterno presidente Credidio, com uma champagne Lacombe Rosé, produzido pelo Chateau Lallier, na região de Reims, com um corte de 60% Pinot Noir, 20% Pinot Meunier e 20 % Chardonnay, 80% de vinhos do ano e 20% de vinhos reserva, método champenoise, perlage fina e persistente, cor alaranjada, aroma de framboesas e cassis, na boca um brut delicado e ótimo frescor, GA - 12%, preço R$ 225,00.

No jantar foi servido uma maravilhosa costela de porco com molho glaceado e uma mousseline de batata doce (cardápio elaborado por mim e bem executado pelo chef Jorge) e isto foi pensado para ter como harmonizacão uma Cava Espanhola Castellroig Brut Rosé da região de Penedes, 100% de uva Trepat, importado pela Grand Cru, GA - 12%, R$ 106,00.

Cred não nos abandone.

Taba

As últimas aqui no blog