In Memoriam Credidio Rosa (4/9/1938 - 6/8/2014)

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Vinhos da Bodega Trapezio (Mendoza)

CREDVINHO - NOVEMBRO 2016
TEMA - VINHOS DA VINÍCOLA TRAPEZIO, MENDOZA, ARGENTINA
LOCAL - RESTAURANTE LA FRONTERA, 16/11




Desta vez nosso encontro foi diferente pois participamos de um evento realizado no La Frontera no qual o proprietário da Vinicola Trapezio, Mauro Villarejo, proferiu uma Master Class sobre o Terroir Mendocino e apresentou seus vinhos da linha BoBo ( Boêmio e Burguês)
Os vinhos foram cuidadosamente harmonizados com um mini prato criado especialmente pelo Cheff Filipe Leite. 




1-Sauvignon Blanc Petit BoBo 2013.Vinho com muito frescor, notas cítricas, aromático. Não passa em carvalho.

Prato: mini ovo caipira no forno com alho poro, azeitona, creme fresco e parmezão.

2- Chardonnay Petit BoBo 2013. Características marcantes do Chardonnay com muita mineralidade e frescor. A colheita é noturna.

Prato: Pinxo de polvo grelhado com azeite defumado e alioli.

3- Trapezio Reserva Malbec 2011.Vinho equilibrado e pronto.

Prato: Bruschetta de porco assado e desfiado,picles de cebola e folhas frescas.

4- Petit BoBo tinto ( Merlot, Cabernet Franc, Malbec) 2011
.Taninos equilibrados com boa persistência na boca.

Prato: Agnolotti de Rabada e limão siciliano com manteiga de ervas.

5-BoBo tinto (Malbec, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc),2013.Vinho muito equilibrado, tendo sido por mim o escolhido da noite.

Prato: Vazio grelhado com gratine de abóbora, queijo de cabra e tomate assado. 


Como sobremesa degustamos um creme caramel, nova especilaidade da casa.

A vinícola Trapezio é pequena porém de alma grande. Seus vinhos foram bastante apreciados por todos .

Até dezembro,

Vera

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Vinho Branco Típico Região/País - Cluvinho


CLUVINHO - NOVEMBRO 2016
TEMA - VINHO BRANCO TÍPICO REGIÃO/PAÍS
LOCAL - RESTAURANTE TONTON


A nossa reunião ocorreu dia 22/11 e a ideia foi revermos castas brancas típicas de Região/País e testar o nosso olfato e boca para tentarmos identificar a casta, lógico com a alguma dica. Abrimos com um espetacular ROBERTSON CHENIN BLANC 2015, esta que é considerada a casta da Africa do Sul, país que começou a produzir vinhos em 1655 por holandeses. Em 1885 a filoxera destruiu tudo, renasceu com muita força em 1994 após o apartheid, hoje é o oitavo produtor mundial, começou produzindo conhaque e Chenin Blanc é a casta mais conhecida, também chamada lá de STEEN. Antigamente 32% dos vinhedos eram desta cepa, hoje são 18%, este vinho é do vinhedo de Robertson Valley, não passa em carvalho, GA -12,5%, importado pela VINCI e o preço é espetacular R$ 45,00 e este foi o vinho escolhido para o jantar.



SELBACH-OSTER ESTATE RIESLING QBA TROCKEN 2013 - Este alemão da região do Mosel, importado pela Vinci, não sofre maceração e a fermentação feita só do suco, não passa em madeira, um vinho magnifico, muito fresco e com uma mineralidade muito acentuada, GA - 12%, R$ 153,00, foi escolhido o segundo da noite.


ISABEL ESTATE SAUVIGNON BLANC 2013 - Este ótimo branco da Nova Zelândia da região de Marlborough, importado pela Mistral, é maturado em carvalho, com aromas típicos, de abacaxi, maracujá, hiperfresco, GA - 13,5%, R$ 175,65, foi escolhido como o vencedor da noite.


ALVARINHO SOALHEIRO 2014 - Este português da região verde foi o vinho mais difícil de ser identificado, mas depois da dica o Evandro matou, importado pela Mistral, este é um vinho de ótima qualidade, não passa por madeira, GA - 12,55, R$ 165,10, foi escolhido o quarto da noite.


VIOGNIER SECRET DE FAMILLIE 2013 - Espetacular francês da região norte do Rhone nos vinhedos de Condrieu e Chateau Grillet, onde todos os vinhedos da casta branca são Viognier, produzido por Paul Jabolet Aine, importado pela Mistral, não passa em madeira, GA - 13%, R$ 139,00, foi terceiro da noite .

No jantar foi servido a ótima muqueca de frutos do mar, carro chefe da casa, acompanhado pelo Robertson Chenin Blanc 2015 e harmonizou muito bem.

Cred não nos abandone

Taba

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

BC Canadian Wines - Cluvinho

CLUVINHO - OUTUBRO 2016
TEMA - BC CANADIAN WINES 
LOCAL - RESTAURANTE NOU



Aproveitando a minha estada em Okanagan Valley - BC, no inicio do mês de outubro, tive a felicidade de participar o Festival de Vinhos de Outono. Esta região onde há aproximadamente umas 80 vinícolas, está produzindo ótimos vinhos e não são Icewines, um certo número delas produzia e algumas ainda produzem icewines, que inclusive vários deles avaliados pela WS na década de 90 criaram a VQA e passaram a produzir regulares. A região é uma das mais lindas que eu conheci.
Vintners Quality Alliance, ou VQA, é um regulador e denominação, sistema que garante a alta qualidade e autenticidade de origem para vinhos canadenses feitas no âmbito deste sistema em British Columbia e Ontário . É semelhante a sistemas reguladores em França (AOC), Espanha ( DO ), Itália (DOC) e Alemanha (QmP). O sistema VQA permite a sub-denominações, através do qual as uvas para vinhos são provenientes de localizações geográficas muito específicas, com diferentes solos e clima. Isto está de acordo com o conceito de terroir .
Abrimos a nossa degustação, que aconteceu dia 25/10, de uma forma diferente, com um vinho fortificado Jerez Fino, não safrado, importado pela Grand Cru, WS - 90 ptos., produzido com uva palomino do produtor Emilio Hidalgo (1874), passa de 3 a 6 meses em carvalho, GA - 15%, muito agradável e pode ser harmonizado com alguns pratos, tanino leve, levemente salgado, mineral e toques de avelã e noz, preço de oferta R$ 93,10.


Trouxe na minha bagagem quatro exemplares para a nossa degustação e nenhum foi reprovado.


MOON CURSER SYRAH 2013 - Produzido pela vinícola de mesmo nome do vinho, da cidade de Osoyoos, este varietal recebeu medalha de prata, um vinho bem típico e fácil de beber, passa por carvalho húngaro, GA - 14,3%, preço R$ 67,50, foi o quarto na preferência.


MANTRA 2014 - Produzido por Kismet Estate Winery, da cidade de Oliver, este vinho é um corte de 30% Merlot, 20% Cabernet Sauvignon, 20% Cabernet Franc, 20% Petit Verdot e 10% Malbec, medalha de ouro, 11 meses em carvalho francês, com muita personalidade, interessante que a composição da assemblagem vem escrito no rótulo e atras sem frescuras, GA - 14,5%, preço R$ 93,40, foi o primeiro na preferência.


CSV RED 2014 - É um Gran Reserva produzido por Jackson-Triggs, um corte de Cabernet Sauvignon, Syrah e Viognier (origem do nome CSV), assemblagem também escrito no rótulo e no contra-rótulo, fácil de tomar, um vinho leve, medalha de prata, GA - 14%,
passa 18 meses em carvalho, R$ 62.10, foi o terceiro na preferência.


BLASTED CHURCH SYRAH 2014 - Produzido por Blasted Church Vineyards em Okanagan Falls, um varietal maravilhoso, medalha de ouro, esta vinícola possuí excelentes vinhos de corte e varietal, usa chips de carvalho não tostado para aumentar a estrutura e é fermentado com um pouco de Viognier para estabilizar a cor e aromas, ficou quase empatado com o Mantra, GA - 13%, R$ 86,40, foi o segundo na preferência.


O jantar foi duas opções maravilhosas, um escalope de mignon com redução de vinho acompanhado de um risotto de cebola caramelizada e a outra opção foi um fettuccine com ragú de cordeiro. Para harmonizar escolhi o português do Tejo, Quinta da Alorna Tinto 2012, importado pela Adega Alentejana, R$ 82,00, mas estava em oferta por R$ 57,00, um corte de Tinta Roriz, Castelão, Alicante Bouschet e Syrah, 4 meses em carvalho americano, GA - 13%, um vinho agradável e fácil de harmonização.


Cred não nos abandone .


Taba

As últimas aqui no blog