In Memoriam Credidio Rosa (4/9/1938 - 6/8/2014)

domingo, 20 de agosto de 2017

Uvas Autóctones - Credvinho

Data: 16/08/2017
Local: Madeleine jazz bar
Tema: Uvas  Autóctones
Apresentação: Nivaldo

Felizmente temos elementos novos se incorporando a nosso grupo e Nivaldo e Teresa não só chegaram como já participaram deste encontro tanto na escolha do tema como do local que agradou demais a todos.
Sabemos que uvas autóctones são uvas nativas de um país, permanecendo consumidas, por vezes, exclusivamente nos países de onde são originárias. 
A Itália é o país que possui o maior número de uvas autóctones: 377.



Boca

O vinho de boca foi Simcic Marjan Rebula 2014, Eslovênia, 2014. É a uva mais importante do país, com vinhedos antigos, plantados em terraços, sendo, portanto, a colheita manual. Está próxima à fronteira da Itália, numa área ensolarada que recebe os ventos do Mediterrâneo. A vinícola é de 1860, estatizada durante o período comunista e em 1988 retornou ao controle da família.
Este vinho envelhece em barricas de carvalho por 23 meses, coloração palha, intensidade média com reflexos dourados. Notas cítricas de maçã verde e ervas. Final longo. R$ 150,00. Agradou a todos.

Degustação




1- Notios Red. Vinho grego produzido na região de Neméa, com a uva Agiorgitiko, pela Vinícola Gaia, fundada em 1994. Vinho jovem, sem passagem por madeira, com coloração violeta intensa. Aroma de frutas negras e sabor elegante e frutado com final macio e redondo. GA 13,5%. R$ 130,00. Foi o quarto escolhido.

2- Modello Rosso Delle Venezie IGT, 2013, cepas Refosco e Raboso. A uva Refosco já era celebrada no século I e consta que era o vinho preferido de Lívia, esposa do Imperador Augusto. A uva Raboso significa raivosa por  seus taninos agressivos e acidez. Masi é uma vinícola do século XVIII. Este é um vinho de sabor jovial, frustado, límpido e de coloração rubi brilhante. GA 12%. R$ 55,00. Foi o terceiro escolhido.

3- Mastro Rosso IGT, 2014, cepa Aglianico que é a grande uva da Campania. É uma das mais antigas uvas autóctones da Itália. Vinho tânico, jovem, sem passagem por madeira, com aromas de morangos e cerejas e com toque de ameixas no retrogosto. GA 12,5%.  R$ 90,00.  Foi o segundo escolhido.

4- Kadette Cape Blend, 2012, África do Sul, pinotage, cabernet sauvignon, merlot, cabernet franc. Os vinhos de Pinotage são intensos e encorpados e utilizados para produzir o Cape Blend, típico da Região do Cabo. GA 14%. R$ 100,00. Foi o escolhido da noite.

Jantar

Nosso jantar teve 5 livres escolhas incluindo massa, peixe, camarão, risoto, todos muito saborosos e aprovados.




O vinho que nos acompanhou foi o Lá Ciboise Luberon 2012, do Vale do Rhone, composto pelas uvas Syrah e Grenache, da vinícola M. Chapoutier. GA 14%. R$ 80,00.

Tivemos mais pessoas interessados em partilhar dos vinhos desta degustação e, para isto, ampliamos nossa reunião para 18 confrades.
O local foi agradabilíssimo e o serviço ótimo. Para finalizar tomamos um Limoncello com Madeleine, regado a uma banda de Jazz. DIVINO.
Boa noite.
Até setembro.

Vera 

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Vinhos Portugueses - Credvinho

Credvinho 19 de julho 2017
Local:Créperie Wine Moments
Tema:Vinhos Portugueses


Nossa reunião foi preparada e apresentada por Rogério que abordou o tema com muita propriedade contendo dados muito ilustrativos em relação às diferentes regiões vinícolas portuguesas.



Como vinho de Boca degustamos o Comenda Grand Rosé produzido na Adega do Monte da Comenda Grande e constituído pelas castas Alfrocheiro e Touriga Nacional. Vinho Regional Alentejano de cor salmão, aromas de frutos vermelhos.Vinho seco e equilibrado. R 85,00. Agradou a todos.

Degustação:



1-Cascas Seleção Enólogo
Vinho Regional de Lisboa do produtor Casca Wines, composto das castas Syrah, Aragonez e Castelão. As uvas são desengaçadas e esmagadas diretamente para a cuba. De cor vermelho com aromas de especiarias e frutos vermelhos. Equilibrado, medianamente encorpado com um final persistente. GA 13,5%. R 63,25. Foi o terceiro a ser escolhido.

2-Quinta das Maria Lote
Vinho da histórica vinícola do Dão DOC do produtor Peter Eckert, composto das castas Touriga Nacional, Tinta Roriz, Jaen e Alfrocheiro. Estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês de segundo e terceiro uso. Aroma delicado com fundo mineral. Na boca frutado com final longo. GA 13%. R 180,00. Foi o quarto a ser escolhido.

3-Monte Cascas Reserva 2012
Vinho da região do Douro do produtor Monte Cascas, composto das castas Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Sousão.O Monte Cascas não tem adega própria sendo seus vinhos produzidos nas melhores adegas do país. Tinto complexo com bom potencial de envelhecimento. Cor vermelha profunda com aroma de fruta preta e cereais. Encorpado com estrutura firme e elegante. GA 13,5%. R156,40. Foi o segundo a ser escolhido.

4- Comenda Grande Reserva Tinto 2012
Vinho da região do Alentejo do produtor do mesmo nome, composto das castas Alicante Bouschet e Trincadeira. Cor granada intensa e aroma fino e complexo de frutas maduras. Taninos suaves com final de boca prolongado e persistente. GA13,5%. R 250,00. Foi o primeiro a ser escolhido.


Jantar:



Comemos um delicioso crepe regado de H.O. Achado Tinto do produtor Horta Osório Wines, composto das castas Touriga Franca, Sousão e Touriga Nacional. Vinho com aromas vivos com caráter frutado e floral. De cor viva com boa profundidade. GA 13,5%. R 71,30.

Foi um encontro muito agradável e parabéns ao Rogério pela apresentação e escolha do local e vinhos.

Até agosto

Vera

quarta-feira, 19 de julho de 2017

109 - Cluvinho


Cluvinho - Julho 2017
Tema: 109
Local: Ecully Bistrot


Muitos quando viram este tema ficaram com duvida, mas ao mesmo tempo confiantes, um outro me disse “Não gosto de surpresas”. Mas entre mortos e feridos, todos saíram satisfeitos, isto aconteceu no dia 18/07, no excelente Ecully. Bem, vamos ao tema 109: aconteceu por incrível que pareça, consegui 5 exemplares (um de cada país, inclusive o espumante de entrada) com o preço de R$ 109,00, isto nos dá a boa equiparação do famoso custo/beneficio. Todos os vinhos importados pela Grand Cru.  



Abrimos com um ótimo espumante Villa Crespia DOCG italiano da região da Lombardia sub-região Franciacorta, feito pelo método clássico, corte de chardonnay e pinot noir, ótima persistência, fresco e boa acidez, GA - 12%.


LEYDA SINGLE VINEYARD SYRAH CANELO 2013 - Espetacular chileno do Vale do Leyda, 100% Syrah, 3 a 6 meses em barril de carvalho, rubi intenso, aroma e sabor de frutas vermelhas, muito equilibrado, GA - 14%, primeiro na preferencia.

CHURCHILL’S ESTATE 2013 - Fabuloso portugues do Douro, este tinto com corte de Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz, 12 meses em carvalho francês, rubi intenso, frutas negras (cereja, amora e ameixa) na boca e nariz, GA - 13,5%, terceiro na preferencia, um vinho ainda muito novo.

ARROCAL 2014 - Um bom espanhol de Ribera del Duero, 100% Tempranillo, 12 meses em carvalho, rubi escuro, cereja e ameixa muito presente, bem equilibrado, GA - 14%, quarto na preferencia.

CHATEAU DE L’OU 2013 - Um ótimo francês da região Languedoc- Roussillon, corte de Syrah e Grenache Noir, rubi, aroma de ervas e terra, na boca frutas vermelhas, bem equilibrado, uma grande surpresa, GA - 14,5%, segundo na preferencia.

O jantar foi o magnifico, leitão com purê de mandioquinha e cebola caramelizada, imbatível, para acompanhar escolhemos o equilibrado Dante Robino Bonarda 2015, de Mendoza, 4 a 6 meses em carvalho, preço R$ 69,00, harmonizou muito bem, vale registrar o excelente atendimento comandado pelo Isaque.

Cred não nos abandone.

Taba

As últimas aqui no blog